quinta-feira, 6 de junho de 2019

Provada e refinada


“Em seu maravilhoso livro “Deus assim desejou para o seu bem”, o Dr. R. T. Kendall escreve: “Cada provação pretende mostrá-lo algo sobre você mesmo que você não sabia.”. Tenho refletido muito sobre essa afirmação, especialmente em relação a quando fui traída por alguém que eu amava e em quem confiava. Aquela provação me ensinou algo sobre a outra pessoa – mostrou-me sua verdadeira natureza - , mas não sobre mim mesma?

A verdade é que cada provação e minha reação a ela revelam algo novo sobre mim porque me obrigam a responder com o coração, a mente ou a conduta:

* Alego confiar em Deus, mas confio mesmo?
* Alego que Deus está no controle, mas realmente abro mão deste controle?
* Alego que Deus é meu libertador, mas permito que Ele me sustente?
* Alego que Deus é meu defensor, mas continuo a querer defender meu caso?

E as respostas a esse tipo de perguntas? O ministro John Cotton disse: “Enquanto ainda houver o menor traço de resistência em você, você não está pronto.”.”


Sheila Walsh

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Lançamentos 2019

É com muita alegria que mostro para vocês 
as capas dos meus novos livros, 
que estão na fase final de produção, 
já sendo impressos e embalados. 



Que tal garantir o seu agora mesmo? 
Já comecei a PRÉ-VENDA. 
A gráfica irá me entregar os livros até a primeira semana de junho, e assim que os receber, enviarei a primeira remessa aos Correios para os primeiros compradores.




Tempo de refrigério, 236 páginas.



Florescer, 240 páginas.



Frutificar, 198 páginas.

Interessados, combinar a compra comigo através 

do email: priscillaluz@gmail.com; 
ou inbox na página do Facebook: Pri de Luz 
ou in direct no Instagram: @prideluz

Dois rapazes...


“Lembro-me de dois rapazes de minha igreja que eram atores. Os dois se inscreveram para interpretar o mesmo papel, que seria o mais importante na carreira deles.

Ambos eram cristãos professos, mas um deles, a meu ver, colocava todas as suas esperanças emocionais e espirituais na conquista de uma carreira bem-sucedida.

Ele cria em Jesus, porém era óbvio que só aproveitava a vida e sentia-se bem consigo mesmo se a carreira estivesse indo bem.

O outro jovem também era um cristão professo, mas, após algumas decepções, ele decidiu que o principal objetivo da vida seria agradar e honrar o Deus que o salvou. E achou que poderia fazer isso sendo ator.

Nenhum dos dois conseguiu o papel.

O primeiro jovem ficou desolado, entrou em depressão e tornou-se usuário de drogas.

O outro ficou arrasado de início, e chorou bastante. Logo depois, no entanto, estava bem, e explicou: ‘Acho que me enganei. Pelo jeito, posso agradar e honrar melhor a Deus em outra profissão.’

Percebe a diferença?

Para o segundo rapaz, a carreira de ator era um meio para alcançar um fim; para o primeiro, a carreira era um fim em si mesmo.

As circunstâncias da vida não conseguiram atingir o tesouro mais valioso do segundo rapaz, porém acabaram com o do primeiro, e o resultado foi terrível.

Ser amado por Deus, ser conhecido por Deus, é o tesouro mais valioso que existe. Se você o transformar em seu tesouro por excelência, então nenhum ladrão invadirá nem roubará o que é seu (Mt 6.19).”

Timothy Keller, em
Caminhando com Deus em meio à dor e ao sofrimento,
Trechos das páginas 327 e 328

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Maravilhoso Conselheiro



Isaías 9:6 é uma profecia que relaciona vários títulos para o futuro Messias. Dentre estes títulos há Maravilhoso e Conselheiro. Entretanto, desde que o original hebraico não tem pontuação, alguns estudiosos acreditam que estas duas palavras devem vir juntas como um único título para Jesus Cristo: Maravilhoso Conselheiro. Sendo este caso ou não, todavia é verdade que Ele é um Maravilhoso Conselheiro.

Ele fala conosco através da nossa consciência quando erramos. Ele fala com uma voz mansa e delicada quando meditamos. Às vezes, Ele fala conosco através de nossos amigos ou talvez através daqueles que não concordam com as nossas ideias. Ele fala conosco através dos acontecimentos do dia a dia, mas Ele fala mais conosco através de Sua Palavra. Precisamos de uma sensibilidade aos Seus conselhos.

Nossa própria visão é limitada, impedida por considerações terrenas. Vemos os problemas de uma perspectiva terrena distorcida. Frequentemente temos fé naquilo que queremos que seja verdade para confirmar as escolhas que fazemos. Precisamos de alguém que nos aconselhe por uma perspectiva celestial, então poderemos tomar decisões que valerão por toda a eternidade. Precisamos de um Maravilhoso Conselheiro. Este Maravilhoso Conselheiro é Jesus Cristo. Vamos prestar atenção aos Seus conselhos.”

Enos D. Stutzman,

Em Junto às águas tranquilas, página 112

quinta-feira, 18 de abril de 2019

MAZAL TOV


"Quando algo de ruim de pouca importância acontece, tal como a quebra de um copo ou um prato, é condicionamento imediato da tradição judaica se dizer "MAZAL TOV" - "que sorte!".

O sentido desse reframing é expressar: que bom que foi apenas algo insignificante que se quebrou, agora você sabe que anda distraído e pode cuidar para que um acidente de maiores consequências não venha a ocorrer.

Assim sendo, a perda de dinheiro, o bater com a roda do carro no meio-fio e inúmeras situações que para muitos é sinal de azar podem ser recontextualizadas como sorte.

Esta com certeza foi uma lição apreendida das agrugas que através dos séculos marcaram a história dos judeus. É um saber da sobrevivência, como explicita o reframing desta conclusão: "é melhor o judeu perder a barba, do que a barba perder o judeu".

Milton Bonder, em

O segredo judaico de resolução de problemas,

Página 61 e 62

quinta-feira, 4 de abril de 2019

Contribuir


“Um homem se queixou com seu pastor:

- A vida está se tornando um contínuo contribuir, contribuir, contribuir...

O pastor lhe disse:

- Você acaba de dar uma das melhores descrições da vida cristã que eu já ouvi.

Assim é a vida do cristão. Contribuímos e contribuímos, e depois contribuímos mais, até nos doer.

O cristão contribui com seu dinheiro, seu tempo, seu ser, suas posses e o que o mundo chama de direitos pessoais. Contribuímos com tudo pela causa de Cristo, que disse: “Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.”

Não contribua esperando receber algo em troca. Alguém disse: “Se damos um presente ou fazemos um favor esperando receber algo em troca, já não é um presente mas, sim, uma troca.”.”

Kevin Miller, em

Junto às águas tranquilas,


página 59