terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Topa tudo por dinheiro?



Você, topa tudo por dinheiro?

O que está disposto a fazer (topar) para conseguir dinheiro?

Trabalho duro? Horas e anos exaustivos de muito estudo? Mudar para outra cidade, estado, país? Se divorciar? Brigar por uma herança antecipada? Odiar seus irmãos por gastarem toda a fortuna de seus pais que, um dia por direito, seria sua por herança? Desperdiçar uma bela porcentagem de seu salário em jogos de azar todo mês, na expectativa de um "dinheiro fácil"? Vender drogas? Roubar? Vender o corpo para prostituição?

Quando eu era criança, gostava demais de assistir ao programa "Topa tudo por dinheiro", do apresentador Sílvio Santos. Era hilário ver as manotas que as pessoas faziam "ao vivo" na tentativa de ganhar dinheiro, não se importando em ser motivo de chacota aos telespectadores. Gostava desse programa de tv, porque eu sempre ria à bessa. 

Por dinheiro, pessoas tem "topado" atos impensáveis e, antes, inimagináveis, que contradizem seu caráter e o tipo de pessoa que querem ser (ou pelo menos, queriam ser). Por quê?

Talvez não tenham parado para refletir a respeito do tipo de pessoa que são/querem ser, e por serem mais impulsivas que reflexivas não se ajudam tanto a tomar decisões com base em escolhas internas, mas à atitudes com base em circunstâncias e em comentários/incentivos de familiares, amigos e pessoas próximas.

A Bíblia é recheada de histórias envolvendo dinheiro. Jesus conta diversas histórias cujo personagem principal é o dinheiro. 
  • Há a história do Filho Pródigo (Lc 15:11-32), onde o filho mais novo pede sua parte da herança ao pai, pega o dinheiro e muda-se para longe, onde desperdiça tudo vivendo irresponsavelmente e volta para casa do Pai, onde o irmão mais velho resiste alegrar-se e se queixa pelo irmão esbanjador, promíscuo e aos olhos dele ladrão (pois se o Pai o recebe de volta e o irmão já havia gastado a parte da herança dele, a parte da herança que agora ele estava usufruindo era seu por direito).
  • Há também a história do homem rico (Lc 12:16-21). Ele era uma grande agricultor. Suas colheitas estavam aumentando exponencialmente, logo seus planos envolviam a  construção de enormes e maiores celeiros para armazenamento. Todavia Deus interrompeu-lhe dizendo que naquela noite a vida daquele homem seria tirada e perguntou-lhe se ele havia planejado para quem deixar "seus preciosos" bens.
  • Há a história de um príncipe que matou todos seus irmãos (e eram 70 irmãos), com medo de que um deles lhe tomasse o trono; pois pensava ser, como filho do rei, o único com direito ao trono (Jz 9:5).
  • Há a história de irmãos, que venderam um irmão como escravo, pois este era um sonhador, do tipo: "Deus me fará grande e um dia todos vocês me servirão meus irmãos", o que de fato acabou se tornando realidade alguns anos depois ( Gn 37: 8-10; 37:18-32; 41:46; 50:18).
  • Há a história de assassinatos, estupros, casamentos e divórcios, fraudes, furtos e as mais horríveis, por causa de pessoas que topam qualquer coisa por dinheiro e poder.
Jesus nos deixa diversas advertências com relação ao dinheiro. Vejamos algumas:

“Alguém da multidão lhe disse: "Mestre, dize a meu irmão que divida a herança comigo". Respondeu Jesus: "Homem, quem me designou juiz ou árbitro entre vocês? " Então lhes disse: "Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância; a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens".” Lucas 12:13-15 

“Vocês, orem assim: ‘Pai nosso, dá-nos hoje o nosso pão de cada dia.  "Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração. "Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro". "Portanto eu lhes digo: não se preocupem com suas próprias vidas, quanto ao que comer ou beber; nem com seus próprios corpos, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante do que a comida, e o corpo mais importante do que a roupa? Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida? "Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé? Portanto, não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer? ’ ou ‘que vamos beber? ’ ou ‘que vamos vestir?’ Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal".” Mateus 6:9,11, 19-21, 24-34

“Pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos.” I Timóteo 6:10  

Repito a pergunta: Você topa tudo por dinheiro?

Há poucos dias recebi uma proposta interessante de emprego. Ofereceram-me um salário de aproximadamente R$6.000,00 praticamente livres, pois moradia, alimentação, carro e passagens aéreas para casa estavam incluído na vaga, caso eu aceitasse trabalhar com as condições pedidas. Coloquei na balança, fiz as contas e por fim decidi recusar a oferta e permanecer em meu trabalho atual. Algumas pessoas me perguntaram como eu estou disposta a recusar uma oferta MARAVILHOSA de intercâmbio dessas. Preferi o silêncio como resposta. Deus sabe. Deus é testemunha. E só eu sei o que estou disposta a fazer por dinheiro. E você, já se deu conta do preço que está disposto e tem pago "por dinheiro"?

O apóstolo Paulo disse que POR CAUSA DO EVANGELHO ele estava disposto a tudo.  

“Faço tudo isso por causa do evangelho, para ser co-participante dele. Vocês não sabem que dentre todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio. Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre. Sendo assim, não corro como quem corre sem alvo, e não luto como quem esmurra o ar.” I Coríntios 9:23-26

Ele não apenas disse isso, como também viveu o que pregou e morreu por causa do Evangelho. 

A decisão do que fazer por amor ao dinheiro, ao evangelho, à família ou a que causa se escolha é individual. Então, da próxima vez em que tomar uma decisão envolvendo o dinheiro, lembre-se de se perguntar: Topo tudo por dinheiro?

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Especial de Natal da tv

https://www.youtube.com/watch?v=McP-T5cPMRA#t=17

Vale a pena assistir e não tomará nem uma hora de seu tempo ;)

Por acidente




Jesus, será que o Senhor já errou por acidente alguma vez?

Hoje, eu matei um cachorrinho por acidente. Estacionei o carro na área de embarque e desembarque. Havia um cachorrinho deitado à frente do carro. Com muita pressa, resolvi o que queria, espiei em frente ao carro para ver se o cachorro ainda estava lá e como não estava, entrei logo no carro e dei partida... Enfim, o coitado resolveu deitar debaixo do carro enquanto eu sai para fazer o que precisava e, por não abaixar para espiar debaixo do carro na hora de ir embora, acabei matando-o! Pressa, descuido, acidente. Chorei de soluçar.

Agora entendo em parte o que minha priminha Thamyres sentiu há alguns anos, quando ao descer a escada de sua casa pisou em sua calopsita e a matou. Ela também chorou bastante (não é prima?). Na época me condoí com a situação, entretanto a situação apesar de chata não me afetou tanto nem me marcou até a ocorrência do episódio fatídico de hoje.

Em meio ao meu erro, me pego pensando a respeito dos erros. Os erros que cometemos por acidente e premeditadamente. Já viu que quando uma pessoa compreende a dimensão de seus erros e pecados, ela passa a entender melhor o preço do perdão, tanto de Deus quanto do homem? Já aconteceu de você errar tão feio com alguém que você mesmo reconheceu ser indigno do perdão daquela pessoa? O engraçado é que facilmente nos esquecemos disso quando os outros erram contra nós! Às vezes a pessoa já fez milhares de coisas boas pra gente e quando ela pisa na bola uma única vez, nada do que ela fez de bom é lembrado e seu erro é observado com lentes de aumento. 

“Não dê atenção a todas as palavras que o povo diz, caso contrário, poderá ouvir o seu próprio servo falando mal de você; pois em seu coração você sabe que muitas vezes você mesmo também falou mal de outros.” Eclesiastes 7:21-22

Não diga: "Farei com ele o que fez comigo; ele pagará pelo que fez". Provérbios 24:29

“Quem faz o bem aos outros, a si mesmo o faz; o homem cruel causa o seu próprio mal”. Provérbios 11:17
Esse Salomão arrebenta com a gente, né? Este texto de Eclesiastes, em especial, é um dos trechos da Bíblia que mais martelam em minha mente. Toda vez que eu fico com raiva de alguém, o Santo Espírito me lembra: Cuidado, do mesmo modo que o fulano errou com você, você também já errou com o ciclano, lembra?

Não, não queremos lembrar; nessas horas só queremos enxergar o erro do outro e curtir aquela raiva explosiva e crescente. Isso me faz recordar da história que Jesus contou. Vamos conferir?

“Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: "Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes? " Jesus respondeu: "Eu lhe digo: não até sete, mas até setenta vezes sete. "Por isso, o Reino dos céus é como um rei que desejava acertar contas com seus servos. Quando começou o acerto, foi trazido à sua presença um que lhe devia uma enorme quantidade de prata. Como não tinha condições de pagar, o senhor ordenou que ele, sua mulher, seus filhos e tudo o que ele possuía fossem vendidos para pagar a dívida. "O servo prostrou-se diante dele e lhe implorou: ‘Tem paciência comigo, e eu te pagarei tudo’. O senhor daquele servo teve compaixão dele, cancelou a dívida e o deixou ir. "Mas quando aquele servo saiu, encontrou um de seus conservos, que lhe devia cem denários. Agarrou-o e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Pague-me o que me deve! ’ "Então o seu conservo caiu de joelhos e implorou-lhe: ‘Tenha paciência comigo, e eu lhe pagarei’. "Mas ele não quis. Antes, saiu e mandou lançá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Quando os outros servos, companheiros dele, viram o que havia acontecido, ficaram muito tristes e foram contar ao seu senhor tudo o que havia acontecido. "Então o senhor chamou o servo e disse: ‘Servo mau, cancelei toda a sua dívida porque você me implorou. Você não devia ter tido misericórdia do seu conservo como eu tive de você? ’ Irado, seu senhor entregou-o aos torturadores, até que pagasse tudo o que devia. "Assim também lhes fará meu Pai celestial, se cada um de vocês não perdoar de coração a seu irmão".” Mateus 18:21-35

Quantas vezes identifiquei-me com esse homem muito perdoado por Deus que ao sair do quarto, perdoada por Ele, encontrou um alguém que me devia (um favor, um pedido de perdão, algo que precisava ser resolvido e era procrastinado) e a minha vontade foi fazer o mesmo: Querer pegar aquela pessoa pelo colarinho e fazê-la acertar as contas comigo! 

Um dia, eu acordei pra realidade. Eu finalmente entendi a profundidade de meus pecados diante de Deus e de Seu maravilhoso perdão em minha vida e passei a enxergar as ofensas e dívidas de meus semelhantes com um novo olhar, o olhar de quem entende que foi perdoada imerecidamente e pode perdoar e amar com esse amor e perdão recebidos.

“Portanto, eu lhe digo, os muitos pecados dela lhe foram perdoados, pelo que ela amou muito. Mas aquele a quem pouco foi perdoado, pouco ama".” Lucas 7:47

 Se Jesus algum dia errou, como ser humano, por acidente enquanto esteve nessa Terra isso eu não posso afirmar ou especular, todavia uma certeza tenho: Ele entende meus erros, sejam por acidente ou não, e não se prende a eles para me amar ou perdoar, porque me ama e derrama de Seu amor em mim. Amor que me cura quando erro por acidente, amor que me redime quando erro premeditadamente e me arrependo sinceramente. E porque Ele me ama e me perdoa, posso amar e perdoar!

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

E se Jesus não tivesse vindo?

 E se Jesus não tivesse vindo a Terra como homem para nos salvar?

Provavelmente...

* Não existiriam lugares de apoio ao doente, idoso, desamparado, órfão, como: hospitais, postos de saúde, asilos, orfanatos, creches, igrejas.

* Não haveria espaço para bondade, caridade, afeição e amor desinteressado no ser humano, pois este já estaria completamente tomado pela maldade, ganância, rebeldia, ódio e viveria a se expressar por meio da violência, injustiça, interesse próprio e de mais ninguém. Não haveria abnegação, altruísmo, submissão e virtudes idem.

*  Ninguém saberia o significado real de palavras como amor, alegria, paz, longaminidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio, pois Adão e Eva poderiam ter contado o que são, mas seus descendentes nunca teriam a oportunidade de experimentar por si (já que o Espírito Santo não os possuiria nem neles habitaria) e, por não terem experiência, pensariam ser tudo isso lenda, mentira, ilusão.

* Esse mundo não mais existiria. A primeira guerra mundial poderia não ter tido fim ou não teria tido apenas a primeira e a segunda, mas a terceira, quarta, quinta guerra mundial e os homens já teriam se destruído (olho por olho, dente por dente).

* Assim como Deus destruiu o mundo uma vez com o dilúvio na época de Noé, Ele teria destruído e reconstruído milhares de vezes, ou desistido de dar outra chance à humanidade. Me pego pensando, será que Sodoma e Gomorra teriam existido? Não, acho que o mundo já teria um fim antes deles nascerem.

Certamente...

* Os sacrifícios que aconteceram antes da vinda de Jesus seriam desnecessários pois de nada valeriam, já que eram apenas sombra do que aconteceria, fé no Salvador que um dia morreria no lugar de ovelhas, bois e pombas mortos como oferta de paz e perdão dos pecados.

* Inútil, vã, sem valor seria a nossa fé.

* Deus seria um mentiroso, pois assim que o homem pecou Ele prometeu , expiação, redenção, justificação, regeneração e afins.

* Não poderíamos ser feitos FILHOS de Deus e seríamos apenas Suas criaturas. A família de Deus continuaria sendo formada apenas de Pai, Filho, Espírito Santo e não haveria a irmandade que hoje há entre os cristãos. Não seríamos uma família de muitos irmãos, logo Deus continuaria tendo apenas o Filho Unigênito e não o Primogênito que hoje Jesus é.

* Coisas ruins seriam por nós toleradas, sem indignação. Nos contentaríamos com toda sorte de pecado: perversão sexual, promiscuidade, estupro, pedofilia, assassinatos, homicídios, suicídios, mentiras, traição, roubo, falsificação, falsidade, hipocrisia, etc. Enfim aceitaríamos tudo como normal e correto.

* Estaríamos condenados, sem perspectiva e o inferno seria a sentença final, pois não há um justo sequer na raça humana, não há um ser humano que não peque e Deus, que é Santo, não tolera o pecado. Sem santidade, ninguém poderá ver o Senhor!

* A vida que hoje vivemos seria sem sentido, vazia, longe do carinho, aconchego e colo do Pai Celestial. Não poderíamos ter comunhão com Deus. Não seríamos habitação do Santo Espírito. 

Somos sobreviventes de uma geração de pecadores, e apenas porque Jesus veio o Éden não é apenas uma lembrança.

Ah, se Jesus não tivesse vindo! Eu não queria nem saber que respostas poderíamos ter a essa simples pergunta.

Obrigada por vir ao mundo, Jesus!

FELIZ NATAL!

sábado, 21 de dezembro de 2013

Amado e valorizado





"Ser amado constitui a verdade essencial de nossa existência." 
Henri Nowen

Ao longo dos anos, tenho percebido que as maiores armadilhas da vida não são o sucesso, o poder ou o dinheiro como muitos afirmam, e sim a autorrejeição. A fama, a popularidade e o sucesso são tentadoras. Igualmente, o poder e o dinheiro tem sua capacidade de sedução. Todavia a origem dessa atração, na maior parte dos casos, está na autorrejeição.

Por qual motivo alguém rejeitaria a si mesmo?  

Conta-se que certa vez um homem marcou uma consulta com o renomado psicólogo Carl Jung por causa de sua depressão crônica. O psicólogo disse ao homem que diminuísse seu período diário de trabalho, fosse pra casa e passasse as noites em seu escritório sozinho. Noite após noite, o homem se trancava no escritório e lia alguns bons livros ou tocava algumas peças ao piano. Depois de semanas, não notou melhora, então voltou queixoso ao doutor. Ao tomar conhecimento de como o homem passava o tempo, Carl Jung disse: Você não entendeu. Não era para você passar seu tempo na companhia de Mozart, Chopin, Herman Hesse ou Thomas Mann! Que queria você completamente sozinho. Ao que o homem, espantado, respondeu: Não consigo pensar em pior companhia que eu!

Se você já se inquietou em ficar só, sem necessidade de distração com livros, música, televisão, cinema, computador, pipoca, chocolate e outros, talvez seja hora de parar e examinar: Gosto de mim? Aprecio verdadeiramente minha companhia? Sinto-me calmo, sem nervosismo ou inquietação, quando estou só? E quando estou com outros, sinto extrema necessidade de causar boa impressão, encantar ou chamar atenção para mim? Eu me amo ou preciso da valorização e amor dos outros para me sentir bem comigo mesmo?

Talvez você tenha crescido ouvindo: “Você é um desastrado! Não vai dar em nada! Não tem conserto para você! Retardado! Nunca vai aprender a fazer as coisas direito?...”. Para ser “amado” e aceito, você vestiu sua máscara, colocou sua fantasia e produziu um falso eu, que é admirado pela maioria, escondendo aquilo que sabemos ou sentimos ser por trás de uma aparência para ser mais agradável e agora se pergunta quem você realmente é. “Será que eu sou a máscara que eu uso?”, você se pergunta.

“Os olhos dos dois se abriram, e perceberam que estavam nus; então juntaram folhas de figueira para cobrir-se.” Gênesis 3:7

Como Adão e Eva, ao ficarmos apavorados por algum motivo, principalmente quando pecamos ou fazemos algo inaceitável aos olhos de nossos pais, professores, amigos, a primeira coisa que fazemos é nos cobrir. Por quê? Porque não gostamos do que vemos. É desconfortável ou até mesmo insuportável, logo, com máscara e fantasia, não enxergamos nem deixamos outros enxergarem quem somos sinceramente.

Entretanto o que acontece quando negligenciamos o cuidado com a vida, cobrindo nossa carência, frustrações, erros e defeitos para, erroneamente, nos tornamos dignos de amor?

Fato é que o amor das pessoas é condicional. Pergunte à filha que foi expulsa de casa após engravidar ou à esposa cujo marido pediu o divórcio após descobrir seus defeitos e não conseguir conviver com ela por causa deles. Pergunte ao filho que foi severa e injustamente punido por não tirar notas altas na escola, mesmo depois de passar a tarde toda estudando enquanto seus irmãzinhos brincavam ou assistiam ao seu programa favorito na televisão. Pergunte ao pai de família cuja falência atingiu e o fez, de um dia para outro, um irreconhecível sujeito pobre, sem casa, sem carro, sem emprego, sem bens e quase (ainda resta uma dúvida) sem família.

“Louvado seja Deus, que não rejeitou a minha oração nem afastou de mim o seu amor!” Salmos 66:20

Não é assim com Deus: Ele não nos ama apenas quando estamos bem ou as coisas vão bem para nós. Ele também nos ama em nossos momentos de carência e prostração. Ele nos ama quando vencemos, conquistamos, enriquecemos e quando perdemos tudo, fracassamos e desmoronamos. Ele nos ama quando estamos animados com Ele e quando estamos desanimados e fracos na fé. Ele nos ama e se alegra conosco. Ele nos ama e se compadece de nós.

Precisamos compreender que ainda que os homens nos rejeitem e mesmo que nós mesmos não nos amemos e aceitemos de verdade, Deus não nutre o mesmo sentimento a nosso respeito. Como humanos temos um amor muito falho, contudo o amor de Deus é perfeito. Enquanto não entendermos isso, involuntariamente, projetaremos em Deus as atitudes e sentimentos que alimentamos por nós mesmos, o que é, na verdade, um modo de idolatria. Enquanto não enxergarmos, aceitarmos e nos arrependermos de nossa condição egoísta, autossuficiente e ao mesmo tempo dependente do amor dos outros, não estaremos prontos para receber o mais sublime, completo e suficiente amor de Deus. Ele nos ama e valoriza como ninguém e apenas quando recebemos Seu amor total, curados e transformados, poderemos nos amar e aprender amar ao próximo.

“Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele.” I João 4:16

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

O que foi que eu não compreendi?

"Ainda que Satanás venha a atacar,
Ainda que venham as provações,
Deixe que essa abençoada segurança controle:
Que Cristo viu meu estado indefeso
e derramou Seu próprio sangue por minha alma."

It is well with my soul, canção de Horatio G. Spafford. Domínio público.


Você já esteve nessa situação? Você já se achou em um lugar tão repleto de dor, e mesmo assim, por causa de sua aliança com Cristo, deu o passo seguinte porque Cristo vale passar por tudo e seguir adiante? 

Pergunto-me se Maria não teria, aos pés da cruz, repensado sua resposta a Gabriel "Sou serva do Senhor, que aconteça comigo conforme Tua palavra". Será que aquela jovem e pobre adolescente, que deu boas-vindas à vontade de Deus, sabia o quanto isso poderia lhe custar? Será que ao ver aquele homem a quem ela viu falar as primeiras palavras, engatinhar, fazer os primeiros milagres e aguardava se levantar como o Messias que os libertaria do domínio de Roma (lembre-se que o povo de Israel estava praticamente escravizado quando Jesus veio ao mundo e que eles aguardavam um salvador político), sendo açoitado, arrastando uma cruz tão pesada que mal conseguia carregar (até obrigaram um homem a ajudar carregar!), crucificado, ela, com seu coração de mãe, mulher e humana não deve ter questionado o plano de Deus ou se perguntado se Ele ainda estava no controle da situação? Será que Maria queria retirar o que disse “aconteça, Deus, conforme Tua vontade”? Qualquer mãe poderia dizer tal coisa se assistisse seu filho ser torturado e assassinado?

E se você tivesse passado toda sua vida em renúncia, vivendo de gafanhotos e mel silvestre, nos sertões e desertos, preparando o caminho para Cristo, o Messias,  e de repente se encontrasse à beira da morte, encarcerado numa masmorra úmida (precisamente, o castelo de Maqueronte, construído por Herodes, o Grande). Como foi para João viver negando a si mesmo, sem qualquer tipo de luxo ou indulgência, e acabar com a cabeça numa tábua (e posteriormente em um prato apresentado a um bando de bêbados), sem nenhum companheiro ou amigo ao seu lado num fim da vida, a não ser o guarda da prisão que o aguardava e apressava para a morte?

Você já se perguntou o que foi que não compreendeu? É isso? Acabou tudo? Quando as dúvidas começaram a assolar sua mente, já questionou o que foi que deu errado, o que foi que você não entendeu?

Deus não nos dá explicação para tudo deste lado da eternidade. Mesmo algumas promessas de Cristo nem fazem sentido deste lado da vida. Muitos momentos parecem irredimíveis. Basta perguntar a minha mãe que viu sua mãe tirar a própria vida quando ela tinha apenas dois anos de idade ou a minha amiga cujo próprio pai a violentava desde sua mais tenra idade. Pergunte ao meu primo cuja filha de 21 anos foi morta em um acidente de trânsito por um motorista bêbado, que atingiu o veículo em que ela estava. Pergunte se pareceu a eles que Deus tinha vindo a eles e se tudo isso fazia sentido?

Não estou dizendo, nem por um instante, que as promessas de Deus não são totalmente confiáveis – elas são o abrigo irredutível de Sua bondade. O que estou dizendo que é por diversas vezes interpretamos bem mal as promessas de Deus e quando tudo ocorre completamente diferente do que imaginávamos, pensamos que Deus não está cumprindo Sua parte do acordo, além do mais algumas questões só poderão ser respondidas quando chegarmos em casa. Algumas feridas só se curarão por inteiro do outro lado da eternidade.

Até onde João podia ver, nenhum Reino havia chegado, e ele fora deixado em uma prisão. Posso imaginar a frustração de João quando as dúvidas assolaram sua mente e ele se perguntou se teria entendido tudo errado e se ele havia dado sua vida para preparar o caminho para o Messias e tivesse identificado a pessoa errada?

“Dirigindo-se a Jesus, aqueles homens disseram: "João Batista nos enviou para te perguntarmos: ‘És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro? ’ "” Lucas 7:20

Onde estava a prometida libertação e vitória? Jesus cita indiretamente Isaías 61:1 para João em resposta, de “anunciar liberdade aos cativos e libertação das trevas aos prisioneiros”, mas não haveria libertação para João, ele teria que ser decapitado ali na prisão. Essencialmente o que Jesus disse foi: “eu não vou libertá-lo João. Outros experimentaram e experimentarão a liberdade que trago, mas você hoje não”.

Com o mais profundo respeito à dor que você enfrentou ou enfrenta pergunto-lhe: Onde ficam as masmorras da sua vida? E onde fica seu amor e confiança em Deus? 

Talvez, do mesmo modo que João, você o veja fazendo milagres e trazendo bênçãos extraordinárias para os outros, mas ninguém veio socorrê-lo ou ajudá-lo. Você gritou para que Ele trouxesse luz sobre sua noite escura e para que a alegria venha logo ao amanhecer, mas a noite e o inverno torturante são se findam... Nesse ínterim, ouça-O perguntar-lhe: Ainda me ama? Ainda confia em Mim? Ainda crê que EU SOU soberano e que vale se entregar a Mim e deixar tudo aos Meus cuidados? O mar se agitará, a tempestade virá e a noite ainda será fria e escura, todavia até que consiga chegar em casa, eu a serei, sim serei sua casa e seu abrigo.

Vivemos neste mundo, mas aqui não é nosso lar, não é definitivamente nossa casa. Precisamos urgentemente e constantemente nos recordarmos disso, mas também que Jesus prometeu nunca nos deixar.

“O que João não podia ver, quando o carrasco colocou sua cabeça na tábua para cortar, era que o abrigo estava quase completo”. Sheila Walsh

Todas as promessas de Deus estão cumpridas em Cristo. E Cristo não nos promete dar abrigo contra as tribulações, aflições ou o mal, mas Ele promete ser nosso abrigo, se assim o quisermos e permitirmos.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Sobre a depressão

Pessoal, 

A OMS lançou um vídeo super interessante buscando esclarecer a todos o que é e como se dá a depressão. Para isso, eles utilizaram de uma analogia criativa, comparando-a com um cachorro. Vale a pena ver! É uma doença triste para quem tem e para quem convive com depressivos. Quanto mais informação, melhor!

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Ward Miles‏


UM GRANDE MILAGRE ! DEUS USANDO AS MÃOS DOS MÉDICOS 
 
Um bebê nascido três meses e meio antes do tempo sobrevive. 
O vídeo foi postado pelo pai do garoto, o fotógrafo americano Benjamin Scot Miller, no dia 1º de novembro

O filme foi uma surpresa de Benjamin para o aniversário de 32 anos de sua mulher, Lyndsey Miller. Coincidentemente, no mesmo dia, eles comemoravam um ano desde que o bebê viera do hospital para casa.

Ward Miller passou seus primeiros 107 dias internado. Em seu décimo dia de vida, os médicos fizeram um exame para detectar possíveis sangramentos no cérebro. O resultado seria dado por meio de notas que iam de um a quatro, sendo quatro o caso mais grave. Ward recebeu nota dois para um dos lados do cérebro e quatro para o outro.

Ben Scot lembra o desespero do casal, já que os sangramentos poderiam levar a problemas mais graves futuramente e não havia nada que pudesse ser feito para corrigir o problema. Mas a criança resistiu e hoje já completou 16 meses. Atualmente, Ward está aprendendo a engatinhar e a andar, e já pronuncia algumas palavras, segundo relatou o pai ao jornal Huffington Post.

sábado, 14 de dezembro de 2013

Perdão é o melhor remédio




 Recentemente conversei com um homem que se encontrava nervoso, fisicamente doente e emocionalmente transtornado. Achei que ele deveria consultar um médico, mas como ele quis falar comigo, escutei-o pacientemente.
            Quando ele me começou a contar a história da vida dele, comecei a perceber como é que ele chegara àquela situação tão miserável – ele era comprido de memória e curto de perdão. Ele lembrava-se de todas as coisas desagradáveis que alguém lhe tivesse dito ou feito. Por vezes os olhos dele chispavam ira homicida. Uma vez mais lembrei-me da importância do perdão como um dos maiores remédios espirituais em todo o mundo. Mark Twain é mais conhecido pelas suas histórias humoristas, mas quando queria era um filósofo. Uma das coisas mais lindas que ele disse foi que “o perdão é a fragrância que a violeta derrama sobre o calcanhar que a esmaga”. O perdão não é fácil, mas é necessário. O espírito não perdoador não fere os outros; fere-nos a nós. Abrigar ressentimentos, cultivar a malícia para com outrem, recusar perdoar – tudo isso envenena o homem interior e produz enfermidade espiritual e emocional que nenhum medicamento elaborado pelo homem pode curar.É impressionante o grande número de pessoas transtornadas que encontro transportando no coração um espírito não perdoador. Essas pessoas vêm ter comigo com os seus problemas – vivem inquietas; mudam facilmente de trabalho ou de casa, não conseguindo estabilizar; estão sempre a ser feridas por alguém; fazem amigos com dificuldade. Quando lhes pergunto se têm perdoado aos que lhes têm feito mal, olham para mim com um ar chocado como se lesse os seus pensamentos. Os sintomas são típicos, e tu e eu podemos detectá-los não só nos outros como em nós mesmos.
Quando alguém tem um espírito não perdoador, pensa que é melhor do que os outros. Eles cometem erros, mas ele nunca. Quando alguém tem um espírito não perdoador, é supersensível; leva muito a peito o que os outros dizem e fazem. Suspeita dos motivos dos outros e suspeita sempre que alguém o quer magoar. Um espírito não perdoador leva uma pessoa a fechar-se em si mesma e a tornar-se num espectador da vida e não num participante. Afinal, quando se é melhor do que os outros, e eles nos querem magoar, porque é que se há de ser amigável? Isto explica a razão das pessoas com espírito não perdoador se encontrarem normalmente sós, serem críticas e nervosas.
Mas um dos mais tristes resultados dum espírito não perdoador é o crescendo da agressividade no seu interior. As pessoas que andam com ressentimentos e abrigam a malícia enchem-se de hostilidade. São incapazes de sorrir aos pequenos problemas que as pessoas às vezes provocam; levam muito a sério essas questões e transformam-nas em grandes problemas. Se alguém se põe à frente delas na fila para o auto-carro, levam isso a peito e declaram guerra. Mesmo que ninguém lhes provoque qualquer problema, os que revelam espírito não perdoador normalmente imaginam algo e inventam um problema para combater.
Para se perdoar, é preciso ser perdoado. Quando experimentamos o perdão de Deus no nosso coração e tomamos consciência de que o Senhor Jesus morreu por nós, então podemos começar a perdoar aos outros e livrarmo-nos do veneno da malícia. Mas não podemos ser perdoados antes de admitirmos a nossa necessidade de perdão, e é aí que jaz o problema. Muito poucas pessoas gostam de admitir que são pecadoras em necessidade do gracioso perdão de Deus. Isto explica porque é que alguns estão sempre a condenar outros: ao fazerem com que os outros pareçam maus, pensam que podem conseguir parecer, eles mesmos, bons. E uma vez crendo que são bons, não veem necessidade de perdão.
Recordo-me de aconselhar uma senhora que tinha o “dom” de encontrar faltas nos outros. No entanto era incapaz de ver quaisquer fraquezas na sua própria vida. Falei com ela pacientemente, e à medida que a nossa conversa se alongava, mais claro se tornou para mim que o juízo que ela fazia dos outros era de fato uma máscara para ela se esconder. Por fim perguntei-lhe se não tinha tido nenhuma grande desilusão que a tivesse feito sofrer. Ela, não aguentando mais, começou a chorar, admitindo que sim. Havia uma velha ferida que ela nunca permitira que Deus sarasse. Durante todos aqueles anos a ferida gangrenou e envenenou todo o seu sistema. Se ela o tivesse admitido e confessado a Deus, teria sido curada. E uma vez perdoada, poderia perdoar outros.
Foi isto que Paulo quis dizer quando escreveu, «Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo» (Efésios 4.32). O Senhor Jesus orou na cruz, «Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem  » (Lucas 23.34). Porque Ele derramou o Seu sangue, tu e eu, podemos experimentar o perdão gracioso de Deus. Não há nenhuma forma de nós podermos merecer o Seu perdão; é uma dádiva. Quando nos volvemos para Cristo com fé, confessamos as nossas fraquezas, e pedimos o Seu perdão, Ele concede-lo incondicionalmente. Se Ele nos faz isto, nós não deveríamos perdoar os outros?

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Não reaja, mas tome uma atitude!



Se você já foi assaltado alguma vez sabe que a melhor atitude a se tomar é não reagir. Muitos assaltantes golpeiam com faca, sacam uma arma de fogo e atiram, e até chegam a matar aqueles de quem estão roubando quando estes reagem. Já fui roubada algumas vezes, graças a Deus nada de grande valor: uma blusa de lã marrom da qual gostava muito, um jogo novinho de roupa íntima verde água lindo que não cheguei nem a usar, alguns livros meus (que pessoas pegam emprestado e não devolvem, compram para pagar depois e não o fazem, etc). 
Se não é para reagir quando se é roubado, qual é a melhor coisa a se fazer? Como seguidores de Jesus, que tal dar uma espiadinha nEle para descobrir como Ele agia diante do sofrimento?

“Quando chegaram ao lugar chamado Caveira, ali o crucificaram com os criminosos, um à sua direita e o outro à sua esquerda. Jesus disse: "Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo". Então eles dividiram as roupas dele, tirando sortes. O povo ficou observando, e as autoridades o ridicularizavam. "Salvou os outros", diziam; "salve-se a si mesmo, se é o Cristo de Deus, o Escolhido".” Lucas 23:33-35

Eles haviam pregado Seu corpo em uma cruz, mas não podiam pregar a amargura em Seu coração, independente do que estavam fazendo a Ele, de como as pessoas falavam à respeito da situação, a atitude de Jesus foi rogar a Deus por aqueles que o prejudicavam. Por quê?
Jesus sabia que TODO PECADO trás suas consequências e não são, nem um pouquinho, boas. Veja o que a Palavra de Deus nos garante:
Deus "retribuirá a cada um conforme o seu procedimento".” Romanos 2:6

“Retribui-lhes conforme os seus atos, conforme as suas más obras; retribui-lhes pelo que as suas mãos têm feito e dá-lhes o que merecem.” Salmos 28:4

“Não diga: "Farei com ele o que fez comigo; ele pagará pelo que fez".” Provérbios 24:29

Mesmo que você diga: "Não sabíamos o que estava acontecendo! " Não o perceberia aquele que pesa os corações? Não o saberia aquele que preserva a sua vida? Não retribuirá ele a cada um segundo o seu procedimento?” Provérbios 24:12

“Como o pardal que voa em fuga, e a andorinha que esvoaça veloz, assim a maldição sem motivo justo não pega.” Provérbios 26:2

“O Senhor enviará sobre vocês maldições, confusão e repreensão em tudo o que fizerem, até que vocês sejam destruídos e sofram repentina ruína pelo mal que praticaram ao se esquecerem dele.” Deuteronômio 28:20

“Quando o Senhor não pôde mais suportar as impiedades e as práticas repugnantes de vocês, a terra de vocês ficou devastada e desolada, e tornou-se objeto de maldição e desabitada, como se vê no dia de hoje.” Jeremias 44:22

“Vocês estão debaixo de grande maldição porque estão me roubando; a nação toda está me roubando.” Malaquias 3:9

Lembre-se que Deus é o juiz justo e a Ele pertence a vingança. Não queira fazer vingança com as próprias mãos. As consequências do pecado, a colheita das ações, sempre alcançam quem as pratica. Para que jogar praga, ficar com raiva, se revoltar e se tornar uma pessoa amargurada com a vida e as pessoas? 

“Abençoem aqueles que os perseguem; abençoem, e não os amaldiçoem.” Romanos 12:14

"Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo’. Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos. Se vocês amarem aqueles que os amam, que recompensa receberão? Até os publicanos fazem isso!” Mateus 5:43-46

Ouse seguir os passos de Jesus, essa é a melhor atitude a se tomar e os frutos são os mais deliciosos. Não reaja, tome uma atitude: atitude de não reagir, atitude de não amaldiçoar e se revoltar, atitude de perdoar, atitude de deixar a vingança com Deus, atitude de não guardar amargura no coração, atitude de abençoar, atitude de ir além e dizer como Jesus:

 "Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo"

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Não os tires do mundo?

“Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno.” João 17:15

Interessante, já li esse versículo inúmeras vezes, mas hoje é a primeira vez que capturou minha atenção verdadeiramente! Vivemos em um mundo mal, o que não é novidade, já que desde que o homem pecou as consequências do pecado tem feito deste lugar, projetado para ser maravilhoso, um local cada vez mais devastado e ruim: doenças, ervas daninhas, violência, injustiças... e, por vivermos neste mundo decaído, às vezes, chegamos ao ponto de desejar não mais viver nele. 

Você já desejou, pediu a Deus (ou conhece alguém que o fez) para, se possível, lhe tirar deste mundo mal? 

Antes de Jesus morrer na cruz do Calvário, ciente do que teria que enfrentar, em seu momento de profunda angústia, ele orou. Como Jesus nos ama! Ele estava sofrendo e em Seu sofrimento orou por seus discípulos, por aqueles que ainda haveriam de crer, por mim e por você. E o que Ele orou? Orou não para que Deus nos tire desse mundo, e sim para que Ele nos proteja, nos guarde, do Maligno (não do mal)! Uau! O pedido de Jesus é para que Deus nos dê força, resistência e proteção, não isenção!

Uma certeza temos: de um modo ou outro, nesse mundo, todos iremos sofrer! Alguns mais, outros menos, no entanto NINGUÉM sai ileso ou livre de problemas dessa vida! Não importa o quão complicadas sejam as situações que tenhamos que enfrentar, em Jesus temos uma promessa:

"Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo". João 16:33

Jesus nos garante que Ele venceu o mundo e que nos ajudará a vencer. E em que momento Ele nos faz essa promessa? Instantes antes de ser traído por seu amigo, julgado, zombado, cuspido, maltratado, abandonado e morto. Sua mensagem era: Animem-se, Eu venci o mundo!

E esse é o momento das promessas. Há uma admirável e intrigante realidade envolta nas promessas e no sofrimento: Deus está presente nos momentos de mais profunda angústia e seu braços são acolhedores e grandes, são fortes o suficiente para nos proteger e nos manter a salvos, seguros, consolados. Não importa o quanto sintamos desamparados e sozinhos em algumas ocasiões, por causa do que Jesus fez por nós, nunca estaremos sós. Mesmo no meio da tempestade, enquanto parece que Jesus está dormindo e não se importa, Ele nos chama a recordar que independente de quão difícil possa ser a vida, podemos vencer nEle.

Você já atravessou uma situação tão dolorosa que parecia que estava por conta própria? Muitos homens e mulheres nas Escrituras se sentiram assim. Veja o que Gideão, Jó, Davi e Jesus gritaram:

"Ah, Senhor", Gideão respondeu, "se o Senhor está conosco, por que aconteceu tudo isso? Onde estão todas as suas maravilhas que os nossos pais nos contam quando dizem: ‘Não foi o Senhor que nos tirou do Egito? ’ Mas agora o Senhor nos abandonou e nos entregou nas mãos de Midiã". Juízes 6:13

“Por que não morri ao nascer, e não pereci quando saí do ventre?
Por que houve joelhos para me receberem e seios para me amamentarem?
Agora eu bem poderia estar deitado em paz e achar repouso.” Jó 3:11-13

“Senhor, por que estás tão longe? Por que te escondes em tempos de angústia?” Salmos 10:1

“Por volta das três horas da tarde, Jesus bradou em alta voz: "Eloí, Eloí, lamá sabactâni? " que significa: "Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?" Marcos 15:34

Saiba que nada do que você esteja passando está despercebido pelo Pai. Se Ele permite que passemos por certas coisas ruins e revoltantes, Ele usará isso para trazer consolo e cura a outro coração quebrado. 

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação, que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações. Pois assim como os sofrimentos de Cristo transbordam sobre nós, também por meio de Cristo transborda a nossa consolação. Se somos atribulados, é para consolação e salvação de vocês; se somos consolados, é para consolação de vocês, a qual lhes dá paciência para suportarem os mesmos sofrimentos que nós estamos padecendo. E a nossa esperança em relação a vocês está firme, porque sabemos que, da mesma forma como vocês participam dos nossos sofrimentos, participam também da nossa consolação.” II Coríntios 1:3-7

Nosso maior exemplo é Jesus. Ele não falou do que não conhecia ou havia vivido. Perto da hora de ser torturado e assassinado orou por nós e deixou-nos promessas consoladoras e porque Ele venceu, nós venceremos!

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Você ora abençoando o alimento ou Deus?

Tomando os cinco pães e os dois peixes e, olhando para o céu, deu graças e partiu os pães. Em seguida, entregou-os aos seus discípulos para que os servissem ao povo. E também dividiu os dois peixes entre todos eles.
Marcos 6:41

“Tomando os cinco pães e os dois peixes e, olhando para o céu, deu graças e partiu os pães. Em seguida, entregou-os aos seus discípulos para que os servissem ao povo. E também dividiu os dois peixes entre todos eles.” Marcos 6:41

"A palavra grega utilizada aqui para "bênção" é eulogeo, da qual descende nossa palavra "elogio", significando "falar bem sobre". Quando os judeus oravam antes das refeições eles viam uma oportunidade para louvar ou elogiar Deus, não somente pela comida diante de si, mas também por quem Ele é. Assim, eles não oravam "pelo que estamos prestes a receber, que Deus nos faça agradecidos". A oração tradicional era: "Abençoado sois vós, Senhor nosso Deus, Rei do mundo, que fez com que esse pão viesse da terra."

A oração para uma provisão recebida diz muito sobre nós, de acordo com o Dr. Ralph F. Wilson. Em outro artigo, intitulado "Não peça pela bênção, ofereça uma", ele observa:

"Como foi então que nós cristãos, passamos a abençoar a comida, no lugar de abençoarmos Deus? Tradição? Hábito? Um pouco da confusão pode ter vindo da passagem que acabo de citar. Na versão da Bíblia do King James (em inglês) e  na Almeida Revisada (em português), lê-se em Mateus 26:26: "Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, abençoando-o, partiu e o deu aos discípulos, dizendo: tomai, comei; isto é o meu corpo". Observem o pequenino pronome "o" acrescentado após a palavra "abençoado". A palavra "o" não faz parte do texto grego, e é por isso que está grifada na edição a Bíblia King James. Mas "abençoe-o" significa algo bem diferente de "abençoe a Deus". Esse acréscimo de uma palavrinha pode ter corrompido a forma como oramos antes das refeições para um modo que não era de modo algum a intenção de Jesus."

Eu não sabia disso! Mas não é que faz muito sentido? Por que pediríamos a Deus para abençoar a comida, quando ela já foi abençoada por sua provisão? É ao próprio Deus que abençoamos!

Assim, Jesus abençoa Deus, parte a comida, e dá a cada discípulo para que distribuam pela multidão. E depois que todos já tinham comido tanto quanto desejavam, os discípulos recolheram tudo o que sobrou em doze cestas.
Em outras palavras, não havia sobras.”

Sheila Walsh
palestrante, escritora e apresentadora de televisão. 
Ao longo de sua carreira já vendeu mais de 4 milhões de livros.


quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Feliz Dia Nacional de Ação de Graças


Hoje, nos Estados Unidos, é comemorado o Dia de Ação de Graças (Thanks Given).

Um dia instituído para que toda a nação voltasse seu coração em agradecimento a Deus, pelas boas colheitas do ano.

Agora, você sabia que aqui no Brasil também temos o DIA NACIONAL DE AÇÃO DE GRAÇAS | DNAG, tendo como a 4ª quinta-feira do mês de novembro de cada ano, data oficial no Brasil, conforme a Lei Federal nº 781/49, regulamentada pela Lei nº 5.110/66?

Pois é, hoje, dia 28 de Novembro é o DIA NACIONAL DE AÇÃO DE GRAÇAS.

Que tal dar uma ¨paradinha¨ e agradecer a Deus por algo que ELE fez na sua vida?

Feliz Dia Nacional de Ação de Graças.

"Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome.
Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios"

Salmos 103:1-2

sábado, 16 de novembro de 2013

Canções lindas...

https://soundcloud.com/fsoficial/minha-fonte-1

Gostei dessa canção e das outras do cantor que você pode encontrar por esse link. Espero que apreciem e sejam abençoados como fui ;)

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Conforto ou fé?

    "Por várias vezes em nossas vidas, cada um de nós tem que escolher entre segurança e destino. Escolheremos o caminho que leva à significância ou tentaremos assegurar nosso conforto e bem-estar? Se escolhermos autopreservação, o fim não será nosso destino divino, podemos até ter êxito em manter nosso senso de estabilidade e segurança, mas eventualmente descobriremos, no julgamento de Cristo, a abundância de vida a que renunciamos a fim de manter nossa temporária zona de conforto.
     Isso é um fato verificado através da Palavra de Deus: se você cumprir sua jornada preparada por Deus, precisará deixar o peso de suas preocupações com Ele. O caminho dEle é de aventura e fé, e a recompensa é muito maior do que nosso senso de conforto e segurança. Lance fora o peso que lhe atrapalha, entregando a Ele suas preocupações."
John Bevere

Para meditar:

“Livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé.” Hebreus 12:1-2

“Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês.” I Pedro 5:7

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Compatilhando uma reflexão

"Alguns dias não são suaves...

Que bom que parte de mim já mora no céu.

Aquele que me amou primeiro já trouxe um pouco do céu aqui pra mim.

O que seria de mim se não fosse o Senhor das minhas certezas que alimenta minha Paz?

O que seria de mim sem a misericórdia que me olha dormir?

Cheia de novas esperanças ela espera que eu acorde para um novo dia. E ela esta cheia de bondade.

Ser sustentada pelo meu El Shaddai transforma minha dor em riso. Só Ele sabe como me fazer feliz. E tudo isso acontece aqui dentro... Dentro de mim.

Durmo absolutamente tranquila hoje sabendo que o meu supridor vive e a Paz que vem d Ele é Única."
Bianca Toledo

"Disse Jesus: Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize." João 14:27